16 de maio de 2023, 10:37

Bombeiros dão início à Semana Salvando Salvadores


Publicada em 23/10/2017

O Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE) iniciou, nesta segunda-feira (23), as atividades da I Semana Salvando Salvadores. O evento, que prossegue até o dia 27, no quartel central de Aracaju/SE, é voltado à promoção da saúde ocupacional dos profissionais da corporação. O objetivo é propor ações que garantam suporte permanente de atendimento médico, de enfermagem e psicológico, em virtude da exposição inevitável dos bombeiros aos riscos operacionais físicos, mecânicos, químicos e biológicos em suas atividades.

A ideia é construir, no decorrer do evento, um protocolo de pós-exposição a riscos de natureza biológica e uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes. Dentre os temas abordados nas palestras estão medidas de segurança frente aos riscos enfrentados pelos bombeiros; uso correto de equipamento de proteção individual (EPI); Direitos Humanos; stress; psicologia das emergências; exposição solar e desidratação; ergonomia; medicina hiperbárica; mecanismo celetista no regime estatutário; exposição a ruídos, alimentação saudável laboral e patologias da coluna na realidade do bombeiro.

Durante a cerimônia de abertura, o subcomandante geral do CBMSE, coronel BM Gilfran Mateus, parabenizou a equipe idealizadora do projeto e destacou a importância de se realizar um evento sobre saúde ocupacional, já que é um tema que merece atenção especial por parte da corporação, que possui atualmente 60 militares baixados ou com restrição de saúde, um número que representa cerca de 10% de todo o efetivo.

“Gostaria de agradecer a todos que estiveram envolvidos nesse projeto. Nunca houve na corporação um pensamento nesse sentido, de proteger os próprios bombeiros que fazem tanto esforço para salvar vidas e muitas vezes não percebem que estão prejudicando a própria saúde. Observamos que está havendo grande adesão por parte dos nossos militares. Espero que todos aproveitem bastante as palestras, pois são temas que estão voltados diretamente para a nossa saúde. Diversas das nossas atividades, se mal conduzidas, podem provocar lesões em nosso corpo”, diz o coronel Mateus.

A primeira palestra da Semana Salvando Salvadores foi ministrada pela médica Karla Magaly Lima, que falou sobre a importância da saúde ocupacional. A palestrante, que é clínica do Programa Saúde da Família e coordenadora da Rede de Atenção à Saúde do Trabalhador da Secretaria Municipal de Saúde de Aracaju, fez um panorama histórico da medicina do trabalho e falou sobre a relação entre trabalho e saúde. Segundo a médica, para se ter saúde, não basta não se ter doença. A questão de saúde perpassa por vários fatores, como sociais, de autorrealização, estima, segurança e física.

“Nós precisamos ter o nosso intervalo de descanso e de refeição. Precisamos ter um conforto para trabalhar, seja ele físico ou psicológico. Precisamos também ter segurança em nosso trabalho. Essa, aliás, é uma das diretrizes que temos enquanto saúde do trabalhador. As nossas remunerações e benefícios devem estar de acordo com o nosso trabalho, bem como nossa permanência e estabilidade no emprego, além das amizades com colegas, interação com o público. É preciso ter um chefe amigável, que escuta”, explica Karla Magaly.

A médica, que é especialista em medicina do trabalho, também ressaltou que, na pirâmide de necessidades para satisfação no trabalho, são levados em consideração fatores como desafio, participação nas decisões, reconhecimento, promoções, amizade e crescimento pessoal. “Um fator importante é o reconhecimento. Quando a gente tem reconhecimento, é muito melhor, pois a gente precisa se orgulhar do que faz. Precisamos também de diversidade, autonomia, participação nas decisões e crescimento pessoal, que é importante. Se o indivíduo não estiver feliz, não tiver uma proposta de futuro, provavelmente não vai trabalhar com tanta satisfação. Existem pessoas que trabalham para ter saúde, pois se ficar em casa adoece. São pessoas que já passaram da época de se aposentar, mas continuam a trabalhar. Para estas pessoas, é melhor estar trabalhando do que ficar em casa. Muitas vezes, o trabalho nos traz uma satisfação que supera outros fatores”, salienta.

Já o 3º sargento BM José Cordeiro, que é especialista e instrutor das disciplinas de combate a incêndio, ministrou a palestra “Medidas de Segurança Frente aos Riscos Enfrentados pelos Bombeiros no seu Dia a Dia”. Segundo ele, a fumaça produzida em incêndios nos dias de hoje apresenta riscos diferentes daqueles de algumas décadas atrás, devendo ser repensadas as medidas de segurança a serem adotadas pelos bombeiros

“A maneira como o bombeiro se protege dessas novas substâncias não mudou. Nós estamos sendo atacados por novos inimigos, porém nos defendendo pouco. No passando, os incêndios ocorriam com materiais como madeira, vidros, metais, tecidos de fibras naturais e cerâmicas. Nos dias atuais, nós temos plásticos, novas ligas metálicas, tintas com aditivos, equipamentos eletrônicos etc. Os novos materiais presentes nas edificações produzem substâncias muito perigosas e não temos o hábito de enxergar isso”, destaca o sargento.

José Cordeiro ressaltou ainda que, diante dos riscos aos quais estão expostos, os bombeiros têm maior probabilidade de ter câncer. “Quando termina o incêndio, o bombeiro fica impregnado de contaminantes. Por isso é necessário adotar medidas de proteção contra o câncer, a exemplo de: não retirar o EPR durante o rescaldo, tomar banho depois de cada incêndio, não usar o traje em área de convivência, não colocar no veículo particular roupa suja do incêndio, lavar roupa de aproximação, fazer limpeza completa do EPR, trocar o traje a cada incêndio e limpar a viatura depois de cada incêndio”.

A programação do primeiro dia do evento prosseguiu com uma palestra do subtenente BM José Luiz Filho sobre o uso correto de EPI e uma palestra do sargento BM Augusto César Feitosa sobre Direitos Humanos e as novas exigências sociais. A I Semana Salvando Salvadores terá continuidade amanhã (24), com discussões sobre stress, psicologia das emergências e comportamento seguro.