17 de maio de 2023, 10:55

Bombeiros do GTA resgatam trilheiro perdido na Serra da Miaba


Publicada em 14/01/2019

Bombeiros Militares do Grupamento Tático Aéreo de Sergipe (GTA/SE) resgataram, por volta das 7h do último domingo (13), na Serra da Miaba, em São Domingos/SE, um senhor de 65 anos que havia se perdido no final da tarde do sábado (12), enquanto fazia uma trilha com um grupo de corrida formado por cerca de 50 pessoas. Inicialmente, o Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE) empregou guarnições dos grupamentos de Itabaiana, Lagarto e Aracaju, para realizaram buscas terrestres noturnas até a madrugada, mas não conseguiram localizar a vítima.

De acordo com o supervisor de operações, tenente coronel BM Douglas Morais, o grupo de trilheiros identificou a ausência de um de seus integrantes por volta das 17h, no momento em que se fazia a contagem dentro do ônibus de passeio. “Quando fomos acionados, chegamos a contactar de imediato o GTA, mas já estava próximo ao pôr do sol e não haveria tempo hábil de a aeronave decolar. Então deslocamos as equipes do quartel mais próximo, Itabaiana, e pedimos reforço do quartel de Lagarto. Em seguida, reunimos uma equipe de especialistas em salvamento em altura no quartel central, de Aracaju, que também foi enviada ao local. As buscas foram feitas durante toda a noite, até 1h da madrugada de domingo, e estabelecemos novas estratégias. Resolvemos então encerrar os trabalhos e trouxemos conosco a pessoa mais experiente da trilha, que conhecia todo o local e sabia por onde o grupo passou, para ajudar o GTA na localização no dia seguinte”, explica.

A equipe do GTA deslocou-se para a serra da Miaba e iniciou as buscas às 6h do domingo. Além dos bombeiros e do guia da trilha, foi enviado o médico PM do grupamento, pois recebeu-se a informação de que o desaparecido era diabético e havia suspeita de ter tido hipoglicemia. Com a ajuda do helicóptero, a vítima foi rapidamente encontrada. O senhor tinha se abrigado na mata durante a noite e depois seguiu caminhando na direção de uma rede de energia de alta tensão, na tentativa de encontrar uma saída.

O tenente coronel Morais orienta, em casos como este, não abandonar a trilha, para facilitar o trabalho de localização das equipes de resgate. Também é importante que a trilha seja acompanhada por guia ou alguém que conheça muito bem a área, além de ter informações sobre as condições de saúde dos trilheiros. Outra orientação importante é verificar reserva de água e de alimentos de cada membro da equipe, para, caso haja algum problema, os bombeiros terem noção de quanto tempo de suprimento a pessoa ainda dispõe.

“É importante, nessas atividades de trilha, que sempre sejam estabelecidos mecanismos de controle, com formação de grupos menores, estabelecendo líderes de cada grupo e com domínio da numeração de indivíduos. É comum, nas nossas atividades militares de combate a incêndio florestal, separarmos grupos de combate a incêndio em que cada grupo tem um líder e esse líder é responsável por manter o controle do seu efetivo. Dessa forma, a cada período de 10 minutos, estabelece-se a contagem de pessoas e verifica-se a condição de cada membro da equipe”, ressalta o supervisor.

Por: Danielle Azevedo