16 de maio de 2023, 10:33

Bombeiros e Defesa Civil falam sobre desabamento de camarote da Odonto Fantasy


Publicada em 09/10/2017

Foi realizada, na manhã desta segunda-feira (09), no quartel central do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE), em Aracaju/SE, uma coletiva de imprensa para esclarecer detalhes sobre o desabamento de um camarote na festa Odonto Fantasy, que ocorreu na madrugada de domingo (08), na Rodovia dos Náufragos, na capital sergipana. Além de bombeiros militares, participaram da entrevista coletiva representantes da Defesa Civil de Sergipe e de Aracaju.

A estrutura do evento estava vistoriada e aprovada pelo CBMSE. O Projeto de Segurança Contra Incêndio e Pânico (PSCIP) tinha sido protocolado no dia 11 de setembro e aprovado no último dia 29, após análise. Para a emissão do certificado de aprovação de eventos, o Corpo de Bombeiros exige que todos os sistemas preventivos necessários, assim como todas as Anotações de Responsabilidades Técnicas (ART’s) sejam assinadas por um engenheiro responsável, atestando que o projeto de segurança do local está de acordo com as normas de segurança necessárias. Foram apresentadas as ART’s dos sistemas elétricos, dos testes de carga e da montagem das estruturas, da elaboração e execução do PSCIP, bem como todas as declarações necessárias para aprovação.

De acordo com o comandante do CBMSE, coronel BM José Erivaldo Mendes, todo evento a ser realizado no estado deve ter autorização do Corpo de Bombeiros. “É preciso que seu organizador contrate um profissional de engenharia para conceber um projeto que obedeça todas as normas da Lei (Estadual 8151/2016), apresentar para que a corporação faça uma análise desse projeto e daí aprove ou não esse projeto. O projeto da festa passou por duas análises. Na primeira, a equipe técnica percebeu algumas inconsistências. O projeto foi corrigido e, na segunda análise, todas as regras de segurança foram atendidas. Depois do projeto aprovado, o Corpo de Bombeiros realizou a vistoria do local, verificando se o projeto foi executado de acordo com o que foi estabelecido. O projeto foi executado da mesma forma que foi aprovado, contemplando tópicos tais como rota de fuga e capacidade de ocupação do espaço”, explica.

Por se tratar de um acidente relacionado à estrutura e não à segurança contra incêndio, a perícia é de competência da Defesa Civil. O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Sergipe (CREA) também participará da perícia, analisando a responsabilidade dos engenheiros envolvidos na construção da estrutura de aço, já que o desabamento pode ter ocorrido por conta do colapso da estrutura. Segundo o coordenador de Defesa Civil de Aracaju, capitão BM Sílvio Leonardo, o camarote tinha capacidade de suportar até 2.988 pessoas e, antes da festa, foi submetido a um teste de impacto de 500 kg por metro quadrado. “A estrutura foi planejada também para suportar o peso das pessoas pulando. Antes de aprovarmos um evento, nós exigimos uma série de documentos que comprovem que a estrutura vai suportar a carga para qual ela foi direcionada. Realizaremos uma perícia para identificar as possíveis causas do acidente, que podem ser a corrosão da estrutura metálica do camarote, superlotação e até a instabilidade do terreno. Analisaremos se a estrutura foi projetada sem obedecer os critérios do projeto. Ela pode ter sido montada de forma que não garantiu a sua perenidade”, diz o coordenador.

As pessoas caíram de uma altura de 1,65 m. Conforme informações do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), 60 pessoas tiveram ferimentos e 26 precisaram ser encaminhadas a hospitais. Em nota, os organizadores da festa informaram que o camarote respeitou a capacidade de público.

 


Site desenvolvido pela Emgetis com software livre - WordPress