19 de maio de 2023, 08:16

Bombeiros promovem cinoterapia a idosos e pessoas com deficiência


Publicada em 14/10/2019

Nesta sexta-feira (11), a equipe de Busca, Resgate e Salvamento com Cães (Bresc) do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE), em parceria com a Prefeitura de Aracaju, por intermédio da Secretaria Municipal da Assistência Social, proporcionou aos idosos da unidade de acolhimento Casa Lar Nalde Barbosa e aos usuários do Centro Especializado para Pessoa com Deficiência (Centro-Dia) uma manhã com muita alegria e atividades executadas pelos cães e seus respectivos cachorreiros.

A iniciativa teve como objetivo a melhoria no desenvolvimento, tanto físico, quanto psicológico, promovendo a autonomia dos idosos e das pessoas com deficiências, com atividades e brincadeiras com os cães. O contato com os animais vai muito além da companhia que proporcionam, em um pequeno tempo pode funcionar como uma terapia ao ser humano, sem contar com o carinho que eles são capazes de doar.

“Com a presença dos cães, era notável a sensação de felicidade, o sorriso em cada idoso. Acredito que hoje promovemos um momento de tranquilidade e descontração entre os idosos e toda a equipe participante, estamos em processo de implantação de um projeto junto ao Lar para que as visitas sejam contínuas. É um belo trabalho que a equipe do Lar Nalde e do Centro-Dia realizam, e agradeço o convite para fazer esta visita”, diz o subtenente BM Elielson Silva.

Para Ingrid Leite, coordenadora da Casa Lar Nalde Barbosa, essa atividade foi muito importante, pois trabalham a socialização, coordenação motora, independência, autonomia e resgatam memórias afetivas. “Através de um contato com a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae/SE), buscamos essa parceria com o CBMSE, para desenvolver uma atividade com nossos usuários, que são idosos, e com serviço do Centro-Dia, voltado para pessoas com deficiência. A maioria desses idosos foram moradores de rua e muitos deles sempre andavam junto com animais, com esse estímulo do contato e a troca de afeto com o animal agregam muito para nosso serviço, pois sentimos a necessidade de fortalecer ainda mais essa articulação, esse serviço que traz a socialização entre as pessoas”, explica.

“O que sentimos aqui foram emoções muito intensas, seja pela falta de convívio familiar, ansiedade ou solidão. Nossa presença foi uma forma de proporcionar um dia diferente. Acredito que com a presença dos cães, promovemos uma melhoria social, despertamos curiosidade sobre os cães. Foi resgatada lembranças da infância, refletindo na melhora, mesmo que momentânea, da qualidade de vida”, finaliza o sargento BM Tiago Garcia.

Por: Brunno Carvalho