17 de maio de 2023, 09:12

Capitães do CBMSE concluem Curso de Aperfeiçoamento em Segurança Pública


Publicada em 30/08/2018

 

Foi concluído, na manhã desta quinta-feira (30), no auditório do Tribunal de Justiça de Sergipe, em Aracaju/SE, o Curso de Aperfeiçoamento em Segurança Pública (Casp/2018), que é pré-requisito para a promoção ao posto de major. Organizado pela Polícia Militar de Sergipe (PMSE), em parceria com a Escola Judicial do Estado de Sergipe (Ejuse), o curso formou 11 capitães do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE) e 47 da PMSE.

Para o capitão BM Alysson de Carvalho, segundo colocado do curso dentre os 58 diplomados, o curso foi importante para o aperfeiçoamento profissional e para reforçar a relação amigável entre os participantes. “Além da satisfação por mais uma conquista, os laços de amizade e companheirismo foram estreitados durante o curso, entre os colegas da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, proporcionando a união desses dois órgãos para melhorar a segurança pública do estado”, diz.

O subcomandante-geral da PMSE, coronel Paiva, ressaltou que a realização da 1ª turma de Aperfeiçoamento de Oficiais aqui no estado é um momento histórico, pois significa para o Estado de Sergipe uma grande economia financeira. “Caso os 58 capitães fossem mandados para outros estados para a realização desse curso, apenas com as despesas de ajuda de custos e bolsas de estudos, o governo desprenderia mais de R$2,5 milhões. Isso representa um benefício institucional valioso”, explica.

O comandante-geral do CBMSE, coronel BM José Erivaldo Mendes, também ressalta a importância do curso e da parceria com a Escola Judicial. “Estávamos com limitações financeiras e não tínhamos como mandar profissionais para fora do estado para se capacitar. Então essa parceria que fizemos foi a solução para os problemas. Esperamos que ela seja mantida. Tivemos tanto a economia financeira quanto a permanência de todos nas atividades profissionais, pois não perdemos a mão de obra desses capitães durante as aulas na Ejuse. Além disso, contemplamos os interesses dos próprios oficiais, uma vez que não tiveram que se afastar de suas famílias para realizar o curso em outro estado”, reforça.