10 de maio de 2023, 11:37

CORPO DE BOMBEIROS REALIZA SEGUNDA ETAPA DE CAMPANHA DE VACINAÇÃO


Publicado em 12/08/2013

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Sergipe inicia nesta segunda-feira, 12, indo até a próxima sexta-feira,16/08, a segunda etapa da vacinação para integrantes da corporação. Nesta etapa serão oferecidas doses das vacinas contra o vírus da gripe, hepatite B, além da vacina dupla DT, que imuniza contra difteria, e a vacina tríplice viral, que oferece proteção contra caxumba, sarampo e rubéola. Esta etapa é destinada aos bombeiros que já receberam a primeira dose e aos que desejarem se imunizar contra estas doenças.

Por atuar em diversas situações que geram grande exposição às doenças e principalmente, por ser profissional que trabalha em regime de aquartelamento, o bombeiro torna-se ainda mais vulnerável às doenças infecciosas, o que torna a vacinação uma ferramenta indispensável na prevenção, minimizando os riscos da contaminação por vírus e bactérias circulantes específicos, explica a Capitã BM – Sanany Alves da Siva, integrante da equipe que ministra as vacinas no QCG do Corpo de Bombeiros.

No mês dezembro haverá a terceira e última etapa fechando o esquema de vacinação deste ano, imunizando assim a tropa em relação à Difteria e hepatite B  até o ano de 2023. Já a vacina tríplice viral imuniza para toda a vida, enquanto que a gripe, por se tratar de um vírus mutante a imunidade dura apenas um ano, sendo necessárias campanhas anuais.

Na primeira etapa da campanha realizada no último mês de junho foram administradas 347 doses e objetivo é que esse número seja atingido novamente nesta segunda fase. A expectativa é que ao final da terceira e última etapa, prevista para ocorrer no mês de dezembro, o efetivo esteja com a cobertura vacinal completa.

Benefícios
A vacina é a forma mais econômica de intervenção, pois sua abordagem reduz os custos dos tratamentos de saúde relacionados com as doenças. Devido a pesquisas tecnológicas, cada vez mais as vacinas apresentam menos efeitos colaterais sendo mais eficazes e seguras.

Fonte: ASCOM/CBMSE