13 de maio de 2024, 10:21

Equipe do Corpo de Bombeiros de Sergipe atua em missão de resgate no município de Rio Grande (RS)


Equipe do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE) segue em missão de resgate e assistência aos gaúchos vítimas das enchentes que devastam o Rio Grande do Sul. Os bombeiros militares de Sergipe estão desde o fim de semana no município de Rio Grande (RS), às margens da Lagoa dos Patos.

É nessa região da lagoa por onde passará o volume de água resultante das enchentes do Vale do Taquari e de Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul. O volume de água esperado para a Lagoa dos Patos ainda não foi alcançado devido às condições climáticas do estado.

Mesmo sem o volume de água esperado para Lagoa dos Patos ter sido alcançado, já há enchentes por diversas localidades de Rio Grande (RS), onde os militares do CBMSE estão atuando. Na região, pessoas das comunidades ribeirinhas e das ilhas ainda resistem em deixar os locais.

“Diante da situação de resistência de parte da população por estarem habituados a permanecerem em barcos, a orientação geral que é repassada pela equipe do CBMSE é de sinalizar a presença de pessoas com a cor azul. As pessoas que desejarem sair, devem usar a marcação vermelha”, explicou a aspirante Mirian Oliveira da Silva, do CBMSE.

Apoio operacional
Na missão o Governo de Sergipe, por meio do CBMSE, enviou viaturas, botes para salvamento, drones e outros equipamentos de salvamentos necessários para atuação em situações de desastres como a vivenciada pelo Rio Grande do Sul.

A equipe do CBMSE chegou ao Rio Grande do Sul na quinta-feira, 9, onde iniciou os trabalhos pelo município de Pelotas (RS). Desde a sexta-feira, 10, os militares atuam em Rio Grande (RS). A localização de atuação é definida pelo Gabinete de Gerenciamento de Crise do Conselho Nacional dos Corpos de Bombeiros (Ligabom).

Os militares do CBMSE que já estão atuando para ajudar o povo gaúcho são especialistas em situações de catástrofes e já atuaram em situações similares, como Brumadinho (MG). Cinco são especialistas em atendimento em cenários de inundações. Um cão farejador e o bombeiro que o acompanha também foram encaminhados para a missão.

Por: ASCOM SSP/SE