9 de maio de 2023, 10:42

Guarda-vidas orientam banhistas para evitar afogamentos durante mês de férias


Publicado em 14/07/2009

Nos 24 primeiros dias da estação mais fria do ano, o inverno, o Subgrupamento Marítimo do Corpo de Bombeiros (Sgmar) registrou apenas um atendimento a princípio de afogamento nas praias que banham Aracaju. Neste mesmo período, no ano de 2008 os guarda-vidas atenderam, também, a apenas um caso. Já durante todo o período do inverno do ano passado, que vai de 21 de junho a 23 de setembro, foram atendidos 14 casos de ocorrências relacionadas a afogamento.

Os números são frutos de uma intensificação do trabalho do Sgmar, que vem monitorando as áreas de maior risco, sinalizando com placas de advertência. Apesar de ser um período de temperaturas mais amenas, o mês de julho é marcado por um fluxo maior de banhistas por conta das férias escolares.

“Desde o período do carnaval estamos intensificando o trabalho de orientação e sinalização de áreas de risco com o intuito de evitar os afogamentos”, explicou o tenente Gideão Oliveira. Ainda de acordo como o oficial, neste período é preciso tomar cuidado com o banho na praia da Coroa do Meio, que oferece risco durante todo o ano, independente da estação, e na área de banho localizada em frente aos arcos da orla da Atalaia.

Fotos: Allan de carvalho / Ascom/SSP

Redes de pesca

O Corpo de Bombeiros faz um alerta para evitar a presença de redes de pesca ou anzóis nos locais de banho das praias que banham a capital Aracaju. No mês de junho deste ano o surfista José Amarante Gonçalves, 24 anos, veio a óbito após ficar preso em uma rede de pesca na praia da Atalaia.

Em reunião realizada no Ministério Público Estadual no dia 1º julho deste ano, que contou com a participação de integrantes do Corpo de Bombeiros, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Marinha Brasileira, Administração Estadual do Meio-Ambiente (Adema), Pelotão Ambiental da Polícia Militar e Empresa Municipal de Serviços urbanos (Emsurb), ficou acertado detalhes da sinalização de advertência e fiscalização com relação a proibição de redes de pesca em locais de banho.

Ficou acordado que está proibido a presença de redes de pesca em locais de banhistas no período de 5h às 18h durante todos os dias da semana. Num primeiro momento, o material que for encontrado em área de banho será retirado e o proprietário será orientado. A partir do dia 1º de julho até os próximos 60 dias será desenvolvida uma campanha educativa. Após esse prazo serão tomadas outras providências de repressão a existências de redes de pesca em áreas destinadas ao banho.

Fotos: Allan de carvalho / Ascom/SSP