5 de maio de 2023, 09:58

Operação mobiliza militares e sociedade civil para combater a dengue


Publicada em 08/05/2008

Um exército de 1.800 policiais militares, 120 bombeiros, centenas de agentes de endemias, servidores da Secretaria de Estado da Saúde (SES) e pessoas contratadas pela Petrobras iniciaram na manhã desta quarta-feira, dia 7, nos municípios de Feira Nova, Carira, Tobias Barreto, Laranjeiras, Aquidabã, Tomar do Geru e Itabaiana uma operação denominada mutirão em defesa da vida com o objetivo de erradicar o mosquito transmissor da dengue.

As armas usadas para combater o mosquito são a orientação, distribuição de cartilhas e folhetos informativos, bem como o recolhimento de objetos que possam servir de hospedeiro para o mosquito e a aplicação de inseticida nos locais onde os agentes detectam a presença de larvas e ovos do mosquito. Na cidade de Itabaiana, 415 militares atuam em 13 áreas consideradas de risco, seguindo um mapeamento feito pela Secretaria Municipal de Saúde.

De acordo com a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Itabaiana, Adenilde Rocha, o município já confirmou 54 casos de dengue, notificou outros 222 e contabilizou 460 notificações nos municípios circunvizinhos. Segundo a coordenadora, os locais mais problemáticos são os bairros São Cristóvão, Miguel Teles e Centro, além do povoado Rio das Pedras. “Por ter registrado vários casos da doença, o povoado recebe no dia de hoje a presença de 30 policiais, 10 agentes comunitários de saúde e cinco agentes de endemias”.

Apesar do número elevado de casos da doença, a situação em Itabaiana ainda não é considerada epidêmica, devido a um trabalho de prevenção iniciado pelo 3º Grupamento do Corpo de Bombeiros Militar, em parceria com a Polícia Militar e o Ministério Público. “No início de abril, temendo a elevação da doença, implementamos algumas ações preventivas, como a distribuição de panfletos, palestras em escolas e mapeamento dos locais de risco, para auxiliar nas políticas públicas do município”, informou o comandante do 3º GBM, tenente-coronel Ozeías França.

Conforme o tenente-coronel França, 15 bombeiros facilitarão o acesso aos reservatórios superiores, das lajes que têm retenção de água, com o uso de escadas. A Secretaria Municipal de Saúde de Itabaiana disponibilizou para a operação 187 agentes de saúde e 50 agentes de endemias.

Segundo o comandante geral da Polícia Militar, coronel José Péricles Menezes, a missão da Polícia Militar se concretiza primordialmente pela defesa da vida. “Nós militares nos somamos a toda sociedade para juntos combatermos esse mosquito que vem ceifando vidas”. Para concretizar a operação em defesa da vida, foram necessários a locação de 58 ônibus e um aparato de 2.600 lanches e refeições.

Frentes de atuação – Conforme o tenente-coronel Enilson Aragão, comandante do 3º Batalhão da PM, em Carira, área de abrangência do batalhão, a cidade foi dividida em sete setores, sendo que em cada setor contará com a presença de 30 policiais com dois oficiais na coordenação, além de seis agentes de endemias. Em Itabaiana, em sintonia com a Secretaria Municipal de Saúde, dividimos a cidade em 13 setores.

Para a prefeita de Itabaiana, Maria Mendonça, a força-tarefa realizada pela Secretaria de Estado da Saúde e pela Secretaria da Segurança Pública, através da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, e com o apoio da Petrobras é de alta relevância para o município. Segundo a prefeita, como o município fez o dever de casa não está incluído na zona de epidemia. “No entanto, como estamos próximos a cidades que têm alto índice da doença temos que nos unir para acabar de vez com os focos”, destacou.

Na residência da senhora Vera Lúcia, no centro de Itabaiana, o dever de casa não fica para o dia seguinte. “Aqui não se acumula materiais, lavo todos os ralos da casa com água sanitária, não junto água nos pratos das plantas e nem no prato do cachorro deixo água parada”. Para ela, esse tipo de trabalho é importante porque fiscaliza as casas de pessoas que não se preocupam com o bem estar do próximo.

A dengue – A dengue é uma doença transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti. Ele é escuro, com manchas brancas, tem tamanho menor do que o comum e por hábito pica as pessoas durante o dia. Esses mosquitos criam-se na água limpa e parada. Há dois tipos de dengue: a clássica e a hemorrágica (mais grave que pode levar à morte).

Os principais sintomas da doença são dores de cabeça e nos olhos, febre alta, dor nas articulações e músculos, manchas avermelhadas por todo o corpo, falta de apetite, fraqueza e em alguns casos sangramento de boca, nariz, fezes e urina.

Fonte: Assessoria de Comunicação da SSP-SE