16 de maio de 2023, 10:37

Stress, psicologia das emergências e comportamento seguro são temas da Semana Salvando Salvadores


Publicada em 24/10/2017

Na manhã desta terça-feira (24) o Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE) deu prosseguimento às atividades da I Semana Salvando Salvadores, um projeto que visa proporcionar aos membros da corporação um suporte permanente de atendimento médico, de enfermagem e psicológico, em virtude da inevitável exposição dos bombeiros aos riscos operacionais físicos, mecânicos, químicos e biológicos em suas atividades.

O segundo dia do evento foi aberto com a palestra Stress: O Matador Silencioso, ministrada pelo psicólogo e sargento BM José Marcelo de Oliveira, quem em meio a suas explanações sobre o tema alertou que o stress pode ser dividido em 4 fases: alerta, resistência, quase exaustão e exaustão.

“A melhor maneira de saber em qual fase do stress a pessoa se encontra é identificar alguns pontos em sua vida. Por exemplo, mãos e pés frio, nós no estômago, dificuldade para dormir e entusiasmo exagerado sinalizam que o indivíduo está na fase do alerta. Já fatores como esquecimento, mal estar, desgaste físico e gastrite sinalizam a segunda fase do stress, a resistência. Por fim a exaustão pode ser caracterizada através de sintomas como diarréia, insônia, úlcera, tiques nervosos e diminuição da libido sexual”, explica o sargento José Marcelo de Oliveira.

O bombeiro e psicólogo ainda alerta que 90% das doenças degenerativas são causadas pelo stress. É o caso das doenças cardíacas, diabetes, anorexia, envelhecimento precoce, queda de cabelo e fadiga adrenal, que costuma ser muito comum em profissões que atuam em escala de plantão, como bombeiros, policiais e médicos.

A palestra também levantou a associação do stress com transtornos psicológicos e de personalidade. Segundo José Marcelo de Oliveira podem ser o Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), Transtorno de Défict de Atenção e Hiperatividade (TDAH), Transtorno de Humor, onde se encaixam as pessoas bipolares, Transtorno de Ansiedade Generalizada, quando o indivíduo não tem motivos para ser ansioso. Outros tipos são Transtornos de fobia, de pânico, de estresse agudo e pós-traumático.

A manhã de eventos teve continuidade com a palestra “Psicologia das Emergências”, conduzida pelo também psicólogo e sargento BM Genisson Sabino, que destacou as maneiras de classificar as vítimas de acidentes.

“As vítimas de primeiro grau são aquelas que sofrem o impacto direto do acidente, como o sujeito que teve queimaduras em um incêndio. As de segundo grau são os familiares e amigos das vítimas de primeiro grau. O terceiro grau são as vítimas ocultas, ou seja, os profissionais que atuam no desastre. A comunidade afetada são a vítimas de quarto grau. O quinto grau são os cidadãos comuns que são expostos ao evento catastrófico através da imprensa ou do “boca-a-boca”. Por fim as vítimas de sexto grau são aquelas que escaparam por pouco do acidente, como o sujeito que não conseguiu embarcar no avião que acabou caindo”, explica o bombeiro Genisson.

Durante a palestra também foram levantados os fatores que levam ao estado psicológico negativo ligado ao ofício dos bombeiros, como alta demanda, jornada estendida, múltiplas tarefas, baixo controle sobre o trabalho, protocolos pouco ou nada flexíveis e pouco poder de decisão.

“A melhor maneira de resolver esses problemas psicológicos é através de medidas simples, como auto-ajuda, gastar tempo com outras pessoas, falar sobre o que está sentindo, retomar hábitos familiares e até mesmo se permitir chorar”, finaliza o bombeiro militar.

O segundo dia da Semana Salvando Salvadores foi encerrado com a palestra “ 1 ato- 1 destino. Construindo um comportamento seguro”, do Tenente Rômulo Rocha, do Corpo de Bombeiros Militar de Goiás. Formado em direito e com pós-graduação em direito do trabalho, o palestrante trouxe para o evento uma abordagem voltada à reflexão sobre a origem do acidente trabalhista pelo ato inseguro, motivando o público presente a desenvolver o comportamento seguro como solução para essa problemática.

“Nós somos a consolidação dos nossos hábitos repetidos ao longo da nossa vida. Por isso é importante cultivarmos bons hábitos no dia-a-dia”, ressaltou o tenente ao destacar que ao negligenciar normas básicas de segurança, o profissional acaba praticando o chamado ato inseguro, que pode resultar em um acidente de trabalho.

A programação da I Semana Salvando Salvadores continua na quarta-feira (25) com palestras sobre a exposição solar e desidratação, com o dr. Emerson Ferreira da Costa, e sobre o protocolo pós-exposição, através do sargento BM Edivan José dos Santos.