16 de maio de 2023, 11:00

Bombeiros e APAE comemoram Dia Internacional da Síndrome de Down


Publicada em 21/03/2018

Oficinas de rapel e tirolesa, animação com o palhaço Foguinho e exposição de equipamentos operacionais de combate a incêndio e salvamento. Foi assim que ficou marcada a manhã de 44 assistidos pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE/SE) no quartel central do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE), nesta quarta-feira (21), em Aracaju/SE. O evento, intitulado “Down: Um dia de Bombeiros Extraordinários”, foi promovido pela corporação em comemoração ao Dia Internacional da Síndrome de Down.

A iniciativa faz parte das ações de responsabilidade social realizadas pelo Corpo de Bombeiros, que desenvolve um importante trabalho junto à APAE, levando os cães do CBMSE para interagirem e ajudarem a melhorar o desenvolvimento psicomotor de pessoas com diversos tipos de deficiências. De acordo com o presidente da APAE, Max Guimarães, esta parceria entre as instituições é gratificante.

“Estamos falando de inclusão, trazendo as pessoas com deficiência para conhecer o serviço do Corpo de Bombeiros. Geralmente, quando se fala em segurança pública, as pessoas logo pensam na questão da violência, mas os bombeiros mostram o outro lado, sempre em busca do salvamento e tendo um lado muito social. A parceria que se iniciou com o pessoal do canil está se estendendo para o restante da corporação. Atendemos cerca de 250 pessoas em todo o estado e em todas as áreas, de reabilitação, terapias, fisioterapias e assistência social”, diz Max.

O sargento BM Tiago Garcia, que atua no Serviço de Busca, Resgate e Salvamento com Cães (SBRESC) do CBMSE, também reforça que este tipo de evento é de suma relevância para endossar o comprometimento do Corpo de Bombeiros com as questões sociais. “Com o nosso serviço, tanto a corporação ganha em relação à sua imagem e na integração com a sociedade, como a APAE tem um real ganho no desenvolvimento dos seus assistidos. Nós já desenvolvemos este projeto social há um ano e meio. Toda quarta-feira, levamos três cães e trabalhamos de acordo com a limitação de cada atendido”, explica.

Para Dona Madalena, mãe de Luzia – com síndrome de Down, a interação com os bombeiros diverte a filha. “Ela é tímida, mas adora olhar essas atividades. Minha filha tem 34 anos e há 30 é assistida pela APAE. Esse evento é muito bonito, principalmente porque tanto eu como Luzia nunca tínhamos entrado no quartel dos bombeiros. No começo, Luzia não andava nem falava. Foi graças à APAE que ela fez fisioterapia e fonoaudiologia. Até hoje ela fala pouco, mas sou muito agradecida à equipe pedagógica que sempre a acompanhou”.

Segundo o comandante geral do CBMSE, coronel BM José Erivaldo Mendes, eventos como estes são gratificantes para o profissional bombeiro militar. “A APAE escolheu estar no Corpo de Bombeiros para, junto dos seus assistidos, comemorar esta data. Mas na verdade fomos nós que ganhamos o presente de tê-los aqui e colher cada sorriso no rosto desses jovens e ver a alegria deles por estarem participando de atividades da nossa corporação. É um dia em que eles estão conhecendo as atividades que fazemos, além do projeto dos cães, que eles abraçaram e adoram”.