17 de maio de 2023, 08:44

Bombeiros orientam sobre riscos de explosão de gás natural veicular


Publicada em 29/01/2018

Foto: G1/Sergipe

Na tarde do último sábado (27), o Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE) foi acionado após ocorrer uma explosão de Gás Natural Veicular (GNV) em um posto de combustíveis localizado no bairro Getúlio Vargas, Zona Oeste de Aracaju/SE. Para diminuir o risco de incêndio no local, os bombeiros orientaram que fosse feita a despressurização do sistema de abastecimento e o desligamento da rede de energia. O acidente deixou duas pessoas feridas, dois veículos parcialmente destruídos e danificou parte da estrutura do posto. As vítimas foram atendidas pelo Samu e passam bem. Já a perícia técnica do acidente foi realizada pela Instituto de Criminalística.

O capitão BM Luiz Jorge Silva, perito em incêndios e responsável pela avaliação de projetos de segurança, diz que os motoristas que possuem cilindros de gás em seus veículos devem tomar certos cuidados. Segundo ele, os cilindros e demais equipamentos de instalação devem ser certificados, instalados e fabricados em empresas credenciadas e homologadas pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

“De acordo com as determinações e recomendações da nossa corporação, a manutenção deve ser realizada com frequência, para verificar se o cilindro resiste à pressão que é requerida pelo nosso sistema de GNV, que é de 220 quilogramas por cm². Se ocorre uma pressão maior que esse valor, o cilindro está com sua resistência comprometida, correndo risco de explodir. Outra determinação presente na resolução 034/2006 diz que todo posto é obrigado a informar, em local visível na bomba, com letras legíveis, que é obrigatório conter a pressão de trabalho que o cilindro suporte, pois uma pressão acima disso vai comprometer a resistência do recipiente, podendo ocorrer explosão e incêndio”, reforça o capitão.

Durante o processo de abastecimento, é preciso ficar atento a algumas normas de segurança, como descer do veículo, abrir o porta-malas, desligar faróis, aparelhos de som e celulares, além de não usar de forma nenhuma quaisquer fontes de ignição, como fósforo e isqueiro. O tenente BM Luiz Mário, comandante de socorro no dia da ocorrência, conta que o posto de combustível realizou todos esses procedimentos, mas que infelizmente não foi o suficiente para evitar o acidente. “Após todo o procedimento de segurança, o frentista conectou a mangueira no carro, mas assim que ele abriu a válvula, a explosão aconteceu. Tanto o funcionário quanto o motorista estavam afastados do carro, mas ainda assim sofreram ferimentos leves”, diz.