19 de maio de 2023, 11:15

Corpo de Bombeiros participa de seminário do Tribunal de Justiça sobre racismo


Publicado em 27/07/2021

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Sergipe (CBMSE) participou do seminário “Simone Diniz: o racismo entre nós”, realizado pelo Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe, por meio do Comitê Gestor da Equidade de Gênero e Raça do (Comeger). Foram dois encontros virtuais, com o objetivo de fortalecer a proteção contra a discriminação racial e o racismo. O primeiro aconteceu no dia 16 e o último na sexta-feira (23). Participaram também do evento representantes do Ministério Público do Estado de Sergipe, da Defensoria Pública do Estado de Sergipe, da Ordem dos Advogados do Brasil -Sergipe, da Polícia Militar de Sergipe e da Secretaria Estadual de Segurança Pública.

O evento foi aberto com uma mesa redonda formada por representantes das instituições participantes, seguida por palestra com a promotora de justiça do Ministério Público do Estado da  Bahia, Lívia Maria Santana Vaz. Na sequência, foram formados grupos de trabalho, ficando juntos Corpo de Bombeiros e Polícia Militar, pela semelhança na realidade institucional, sob a coordenação da tenente-coronel BM Maristela Xavier e da capitã PM Fabíola Goes.

“A participação do Corpo de Bombeiros foi extremamente significativa, uma vez que foi possível a construção de um debate mais amplo, com a escuta de nossos militares, tanto pela aplicação de uma pesquisa com a tropa, quanto pela participação no grupo de trabalho. O que renovou nosso sentimento de responsabilidade, fortalecendo o exercício da empatia, escuta, reflexão e ação na busca de transformação do antirracismo em algo concreto”, afirmou a tenente-coronel Maristela.

O major PMBA Thiago Garcez da Cruz foi convidado para apresentar a experiência do Centro de Referência Étnico-racial da SSP/BA, do qual ele é coordenador. “Que o Estado de Sergipe contagie mais outros Estados que visem debater o assunto, da forma como foi feito, para que não assistamos mais mulheres sendo discriminadas pela sua cor da pele, quando vão acessar espaços de emprego. Que não assistamos mais crianças e adolescentes sendo abordados de forma violenta, só pelo fato de serem negros. Que não assistamos mais nenhum tipo de violação de direitos humanos, não só por parte das forças de segurança pública, mas por toda a sociedade. Parabéns ao Estado de Sergipe! Vida longa a essa iniciativa que marca uma conquista histórica na construção de uma sociedade mais igualitária e de respeito às diferenças”, apontou.

O encerramento das discussões aconteceu na sexta-feira, 23, com a apresentação das propostas dos Grupos de Trabalho, palestra da Desembargadora aposentada Luislinda Dias de Valois Santos, do Tribunal de Justiça da Bahia, e homenagem a Simone Diniz, símbolo de luta contra o racismo institucional no Brasil.

Para a sargento BM Danielle Azevedo, que participou do Grupo de Trabalho, a realização do seminário e abertura do diálogo para todos os postos e graduações foi um importante passo no processo de conscientização antirracista nos quartéis. “O grupo de trabalho trouxe resultados promissores para o enfrentamento ao racismo e à intolerância religiosa no âmbito das instituições da segurança pública. Fico feliz em ter participado e contribuído com os debates e propostas. Só o fato de quebrar o silenciamento das organizações militares estaduais no que diz respeito ao racismo já foi uma grande conquista, pois esse crime permeia, ainda que inconscientemente, todas as estruturas da sociedade”, avaliou.

Segundo a tenente-coronel Maristela, todos os relatórios produzidos no evento serão encaminhados ao Tribunal de Justiça, bem como às instituições participantes.  “Na nossa instituição o relatório será encaminhado ao comando. Posteriormente haverá uma reunião para alinhamento das pautas apresentadas e discussão para a implementação das ações”, concluiu.

Por Dinah Menezes