19 de maio de 2023, 08:10

Projeto SOS Abelhas vira tema de TCC acadêmico


Publicada em 18/09/2019

Visando a importância da preservação das abelhas para a sociedade e como podemos compartilhar essas informações, a estudante do curso de agroecologia do Instituto Federal de Sergipe (IFS), Dandara de Jesus Nascimento, produziu seu trabalho de conclusão de curso (TCC) intitulado “Projeto S.O.S Abelhas Sergipe: Resgate e Georreferenciamento de enxames e colônias de abelhas africanizadas na região metropolitana de Aracaju”.

No seu trabalho, Dandara, que tem 22 anos, explorou a redução de risco da exposição às abelhas pela população — Observando as abelhas que serviam ao meu trabalho de conclusão de curso, ocorreu-me que elas eram na verdade muito mais do que aquilo que eu observava, eram vida. Vida que a ciência manipula, confina, altera e sacrifica em prol da humanidade. De repente, aquelas abelhas estavam ali, a exigir o meu olhar de pesquisadora consciente. O meu respeito — conta a estudante.

O projeto SOS Abelhas é um resultado de uma parceria entre o Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE), a Universidade Federal (UFS), o Instituto Federal (IFS) e a Federação e Associação Sergipana de Apicultores, tendo como a finalidade da preservação da espécie de Abelhas Apis Mellífera, e consequentemente a manutenção da flora e da fauna local, que durante o ciclo de migração gera um aumento de enxames em áreas urbanas. Para evitar isso durante o ciclo de migração das abelhas, o projeto distribui caixas iscas, em locais estratégicos e com apoio das empresas e/ou órgãos parceiros, com o objetivo de capturá-las e da destinação apropriada que garanta a preservação da espécie.

O professor do IFS, doutor em comportamento e bem-estar animal, e uns dos responsáveis pelo projeto, Wilames Gomes dos Santos, conta como funciona a distribuição das caixas iscas. “As abelhas que são capturadas pelo SOS Abelhas, através de caixas iscas ou captura ativa, que são enxames alojados a muito tempo, são encaminhados para os apicultores e vão para a produção de mel, de pólen, própolis, então, ela vai melhorar a cadeia produtiva do mel, vai gerar emprego, vai gerar produto e estarão sendo preservadas”, diz.

O tenente-coronel Fábio Cardoso, diretor operacional do CBMSE, fala sobre a importância desse projeto e o sobre seu reconhecimento. “O projeto tem uma importância fundamental para o Corpo de Bombeiros quanto à mudança de metodologia de trabalho. O CBMSE na sua forma anterior tinha como regra o controle da espécie, entre a vida da abelha e a vida humana, era optado preservar a vida humana, em prol de minimizar os riscos. Hoje temos um trabalho preventivo, uma mudança de paradigmas e tentando consolidar cada vez mais. Para o mundo acadêmico, a pesquisa tem uma grande importância, pois gera produção de conhecimento, e norteia qualquer desenvolvimento de técnica ou de trabalho na área, ainda ressalta a preservação do meio ambiente e fomenta a discussão sobre o assunto e essa nova metodologia”, completa.

Por: Brunno Carvalho